• Henrique Rochelle

Dança na MITsp, MITbr, e FarOFFa


A MITsp, Mostra Internacional de Teatro de São Paulo, apresenta de 5 a 15 de março sua 7ª edição. Mais uma vez, a dança tem um papel de destaque na programação das atividades da mostra, que entende “teatro” em seu sentido mais amplo, e a partir dos muitos confrontamentos de linguagens e cruzamentos entre as artes da cena.


A mensagem que nos deixam, misturando a dança, a performance e o teatro parece clara: “não vemos tanta distinção assim”. E, em certos aspectos, e do ponto de vista do público, realmente não é sempre que há distinção.


O que existe de contaminação da dança pelo teatro, e do teatro pela dança, por exemplo, é matéria de interesse primeiro para a MITsp, que escolhe, inclusive, abrir sua programação com uma obra assinada pela coreógrafa Gisèle Vienna, “Multidão”, que trabalha os estados de sentido alterados de seus intérpretes, inseridos num contexto de uma festa de música eletrônica.


É cena, é peça, mas é um trabalho construído e transmitido a partir do movimento. Do rastro sensorial à memória afetiva, a dramaturgia pela trilha também faz parte de “Sábado Descontraído” da ruandense Dorothée Munyaneza, e parece ser uma das chaves da instalação video-musical “Orlando”, assinada por Julie Beauvais.


Esses três trabalhos fazem parte da Mostra de Espetáculos, o eixo de maior destaque do evento. Ao todo são 12 as obras internacionais que vem para lotar plateias e deixar filas de espera por toda a cidade. Na edição 2020, a MIT busca abandonar o teatro documentário, ampliando sua seleção para outros modos da constituição da cena contemporânea, como a hiperteatralidade, o trabalho da construção metafórica, e a poesia.


Num outro eixo, 12 obras formam a programação da MITbr - Plataforma Brasil, curada por Alejandro Ahmed, Grace Passô e Francis Wilker, a partir das 791 inscrições recebidas em open call. Com o intuito de criar um espaço para os programadores internacionais assistirem aos trabalhos brasileiros, os curadores propõem um panorama não-centrado em São Paulo, que esse ano tem como Artista em Foco a cearense Andreia Pires.


Dela, veremos “PRA FRENTE O PIOR”, e o “Fortaleza 2040”, acompanhados de trabalhos como “tReta”, da Original Bomber Crew do Piauí, e “Entrelinhas”, do Coletivo Ponto Art, da Bahia. Em comum, e cruzando a programação da MITbr como um todo, encontramos as temáticas da vida em sociedade, do confrontamento e do estar junto.


Estar junto é foco no todo do evento, não apenas pela reunião de espetáculos e de públicos, mas pela concentração de manifestações, que este ano alcançam novas proporções com a bela surpresa do FarOFFa - Circuito Paralelo de Artes de São Paulo, uma mostra independente, organizada pelas produtoras Corpo Rastreado e a Périplo Produções, que acontece ao mesmo tempo em que a MIT, em horários alternativos.


Dentro da programação do FarOFFa, 40 atrações em mais de 100 apresentações se espalham por São Paulo, numa proposta de ampliar o acesso do público às produções cênicas locais. De dança, poderemos rever trabalhos como “Z”, de Alejandro Ahmed, “Bolero" e “UM”, de Maurício Flórez, “Riso”, da Key Zetta & Cia, e “Sete”, do GRUA, entre outros.


A missão parece ser clara: dominar a cidade com teatro. A multiplicidade de ações, às quais se junta agora uma invejável produção independente de fôlego, mostram um conjunto de se admirar, em duas semanas intensas, e de expectativas imensas.

Confira destaques da programação de dança:




Multidão”, Gisèle Vienne [Mostra MITsp]

5/mar às 20h, abertura e espetáculo para convidados

6 e 7/mar às 21h, Auditório Ibirapuera







Sábado Descontraído”, Dorothée Munyaneza [Mostra MITsp] 6 e 7/mar às 21h, 8/mar às 18h, Sesc Avenida Paulista



ORLANDO” (Instalação vídeo-musical), Julie Beauvais [Mostra MITsp]

7 e 8/mar às 16h e 18h, Teatro Sérgio Cardoso




O que Fazer Daqui pra Trás”, João Fiadeiro [Mostra MITsp] 7 a 9/mar às 19h Teatro Cacilda Becker








Bolero”, Maurício Flórez [Programação FarOFFa]

10/mar às 12h e 18h, Oficina Cultural Oswald de Andrade









Dança para esquecer o vô”, Fabrício Licursi [Programação FarOFFa]

10/mar às 11h e 11/mar às 15h, Oficina Cultural Oswald de Andrade










UM”, Maurício Flórez [Programação FarOFFa]

11/mar às 17h, Oficina Cultural Oswald de Andrade








Meia Noite”, Orun Santana [Programação MITbr]

11/mar às 21h, 12/mar às 16h, Teatro Alfredo Mesquita







SETE”, Grua - Gentlemen de Rua [Programação FarOFFa]

12/mar às 13h, Oficina Cultural Oswald de Andrade















Fortaleza 2040”, Andréia Pires [Programação MITbr] 12/mar às 19h, Itaú Cultural – sala Multiuso










Rir”, Key Zetta & Cia [Programação FarOFFa]

12 e 13/mar às 12h, Praça Coronel Fernando Prestes


Riso”, Key Zetta & Cia [Programação FarOFFa]

12 e 13/mar às 15h, Oficina Cultural Oswald de Andrade







■ Sala 01”, Juliana França [Programação FarOFFa]

12 e 13/mar às 20h, Centro Cultural São Paulo, Sala Adoniram









Overtongue”, Michelle Moura [Programação FarOFFa]

12 e 13/mar às 21h, Centro Cultural São Paulo, Sala Adoniram










Ninhos - Performance para grandes pequenos”, Balangandança Cia. [Programação FarOFFa]

13/mar às 10h e 14/mar, às 14h, Praça Coronel Fernando Prestes







tReta”, Original Bomber Crew [Programação MITbr] 13 e 14/mar às 20h, Tendal da Lapa







PRA FRENTE O PIOR”, Inquieta Cia [Programação MITbr] 13/mar às 21h, 14/mar às 20h, Centro Cultural São Paulo









Entrelinhas”, Coletivo Ponto Art [Programação MITbr] 14/mar às 19h, 15/mar às 16h, Teatro Cacilda Becker















Z”, Alejandro Ahmed [Programação FarOFFa]

14/mar às 20h, Oficina Cultural Oswald de Andrade

0 visualização

Todos os textos do da Quarta Parede são escritos por Henrique Rochelle

Os textos publicados anteriormente (2013 - 2017) no da Quarta Parede continuam disponíveis no domínio original

  • Facebook Social Icon
  • LinkedIn Social Icon
  • Criticatividade